domingo, 18 de setembro de 2016

ESSA É MINHA ESTÓRIA TALVEZ UM SINÔNIMO DE RESILIÊNCIA.



Olá amigos meu nome é César sou natural de Pelotas cidade do interior gaúcho cerca de 300 km da capital do estado do Rio Grande do Sul nesse ano de 2016 completo 53 anos, fico feliz em relatar a vocês todos, um pouco de minha vida e dos momentos em que a superação a fé e a união de familiares e amigos fizeram a diferença e claro a minha grande vontade de viver. Sempre desde jovem fui um cara de personalidade forte e aprendi a correr atrás de meus objetivos casei a primeira vez muito jovem e desse relacionamento resultou em quatro filhos lindos maravilhosos duas meninas e dois meninos  ,segui minha vida profissional como cozinheiro seguindo meu caminho até me tornar Cheff de Cozine após alguns anos veio a separação  e conseqüentemente  as intempéries que originam-se dessa fase da vida, como disse por não ser acostumado a esperar as coisas acontecerem e sim seguir em frente sempre  logo casei-me novamente constituindo nova família e ai confirma –se um ditado que diz “seu destino está traçado para isso você tem livre arbítrio de segui-lo ou não”pois nada em nossas vidas acontecem por um acaso tudo tem um propósito desse meu atual relacionamento vieram mais três meninos ,parecia ser um relacionamento temporário até mesmo pela diferença de idade entre nós eu 12 anos mais velhos ,mas não com essa menina que encontraria a força necessária para tudo que estava reservado para meu futuro. Em 2009 após aparecer pequenos sangramentos  parecendo um simples problema de hemorróidas fiz alguns exames e segundo os resultados não seria nada demais apenas deveria fazer outros mais para ter a certeza que estava tudo bem ,foi quando marquei uma consulta com um médico do Hospital de Beneficência e qual me disse após ver os exames feitos anteriores, que não eram os exames  os quais dariam o resultado verdadeiro de meu problema ,mandou fazer uma colonoscopia e se necessário e  posteriormente uma biopsia para ai sim ter uma diagnostico verdadeiro do que estava acontecendo. Após receber os resultados e sentir meu quadro clinico se agravando devido as dores abdominais, pernas e constante sangramento, foi constatado a presença de um tumor maligno no final do intestino e reto,gente ai a casa caiu meu mundo desabou só pelo fato de saber que estava com câncer chorei muito naquele momento pois teria que dizer a meus filhos que o SUPER HERÓI deles iria ficar pelo caminho ,chegamos em casa e minha amada sem rumo tentou ver na internet informações além das que o médico tinha nos relatado  até mesmo que o médico já havia nos dito que para fazer a cirurgia teria duas opções particular cerca de 15 mil reais ou pelo SUS  ,mas o médico havia me assegurado que mesmo pagando teria que entra em uma lista de espera para poder fazer a radioterapia e a quimioterapia mas que eu  fosse  na faculdade de medicina que ele tentaria conseguir o mais rápido possível para me ajudar, de fato conseguiu me encaixar na  lista de pacientes urgentes ,quando da primeira consulta em seu consultório na Ambulatório da Universidade Federal de Pelotas começa ai o meu primeiro conhecimento do que seria  ser um estomizado quando o Dr me disse que eu teria duas opções faria a radio e a químico para combater ou faria uma amputação da parte afetada pela doença e a possibilidade de cura seria bem maior ,mas teria que usar uma bolsinha para sempre ,olhei para meu medico naquele momento e lhe disse faça o que o Sr achar que for o melhor para  mim o que faria se fosse para o Sr, naquele momento começa   ação do Grande Pai Oxalá e meus protetores espirituais a conspirar a meu favor ,mas voltando ao momento em que minha esposa iria pesquisar qual minhas chances sem que eu soubesse,foi que lhe disse se estamos juntos nessa batalha não quero que me escondas nada se tenho uma semana um mês ou um ano de vida quero saber de tudo ,juntos pesquisamos e descobrimos que o câncer  que me acometia era comum em homens na faixa dos 56  anos , naquele mesmo momento meu filho mais velho chegou em minha casa e me disse pai vamos fazer essa cirurgia se precisar vendo meu carro ,poxa isso me encheu mais de coragem de lutar,mas meu médico havia me garantido que seria bem tratado e daria tudo certo ,passado o choque inicial seguimos dia após dia voltei a trabalhar e assim segui  químico e radio e muitas dores pois tinha sido diagnosticado no final de fevereiro e os meses se passavam até o dia 6 de março quando parei de vez de trabalhar pois já não agüentava estar em pé e as dores passaram a ser insuportáveis visivelmente estava perdendo dia a dia alguns rounds da luta família amigos e todos os credos mobilizados para que eu fosse o vencedor ,quando da ultima consulta com o Dr Renato Alan decidiu não  vamos esperar mais  segunda –feira 12 de julho vais ser operado ,na sexta feira anterior a internação na casa hospitalar para o procedimento uma tia que fazia suas orações para minha recuperação ao lado de minha cama me disse César nunca te esqueça que  ”DEUS ESTÁ NO CONTROLE “.No sábado quando cheguei a casa hospitalar para fazer minha internação fui recebido e conduzido por um enfermeiro que era um velho conhecido de outras passagens  da vida e ele na maior tranqüilidade tentava me acalmar pois via o quanto abalado eu estava sabendo que existia uma enorme possibilidade de não voltar para minha família por se tratar de um procedimento cirúrgico de grande risco ,seguimos pelo corredor até o quarto ,quarto esse que seria em formato de L com três camas de um lado e duas do outro mais o banheiro ,minha cama seria justamente aquela que estava ao lado do banheiro,após ser retirado da cadeira de rodas e colocado na cama olhei para a lado do banheiro e tinha uma janela aonde havia um adesivo colado que dizia “AQUI DEUS ESTÁ NO CONTROLE “ chorei novamente  copiosamente entendendo ser aquela uma mensagem direta do Grande Pai que ele estaria comigo.chega  então o dia da cirurgia que durou muitas horas tamanha a complexidade do procedimento enfim ao acordar agora eu era um estomiizado ,confesso não foi tarefa fácil aceitar ainda mais que levei aproximadamente um ano ainda para recuperar-me de um processo infeccioso na região da cirurgia aonde foi feita a amputação,passado todo esse período começava uma nova vida de aceitação mas de valorização de estar ali entre os meus junto aquela menina lá do inicio de minha estória que foi uma guerreira incondicional até mesmo dormindo embaixo de minha cama quando a estada na casa hospitalar e se mostrando e doando-se de completo ao nosso amor e a minha vida ,assim que pude homenageá-la fiz uma tatuagem em minhas costas que diz “VIVI PAIXÃO ALÉM DA VIDA” e assim segui-se o tratamento e acompanhamento no Programa de Assistência  ao Estomizado e Incontinente/Pelotas-RS aonde por ser meu jeito extrovertido brincalhão e comunicativo fui convidado a participar da ASSOFAM Associação dos Ostomizados Familiares e Amigos /Pelotas-RS  ,mas em primeiro momento não participei pois não  me via atuando em meio a muitas outras pessoas doentes enquanto mas em 2014 depois de me recuperar de outra cirurgia em que quase morri pois havia sido mal atendido  pronto socorro  e o apêndice rebentou pela demora no atendimento e no fato de nenhum momento levarem em conta que eu era ostomizado, graças  a DEUS  salvei após uma medica intervir depois de ver tomografia e me levar para o bloco ando ela disse a minha esposa :se ele sair dessa vai para UTI para se recuperar o caso dele é muito grave ....mas deu tudo certo ,mas fiquei com outra bolsa agora no lado direito de iliostomia ,seguimos em frente vida que deveria se seguir entrei para a ASSOFAM cargo de tesoureiro ,em 2015 dia 13 de julho outra cirurgia para  reconstrução do intestino bem complicada mas deu certo e em 2016 fui eleito Presidente da ASSOFAM. Essa é minha vida de aposentado  além da ASSOFAM sou diretor de um clube futebol profissional, ando de moto adoro viajar jogar bola pescar ,tenho vida sexual ativa pai de sete filhos seis netos ,religião Espírita Umbanda e FÃ Nº1 de Virginia da Silva Ortiz minha “PAIXÃO ALÉM DA VIDA” minha amada esposa esse sou eu .
VISITEM MEU FACEBOOK CESAR LIMA  OU A PAGINA DA ASSOFAM/GRUPO DA ASSOFAM 

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

SOU FELIZ DO JEITO QUE ESTOU...

Ola me chamo Michele  tenho 28 anos sou de São Bernardo do Campo SP.  sou ostomizada a 8 meses graças  a Deus ☺. Quero compartilha um pouco  da minha história  com vcs.  E primeiramente quero agradecer a Deus  pela oportunidade  de estar  contando minha história. . Em 2010 recebi a notícia que seria mamãe  foi um momento tão  feliz em minha vida meu sonho se realizando quando completei 3  meses de gestação  fui ao banheiro e percebi que no vaso tinha sangue no meio das fezes fiquei  preocupada e fui imediatamente ao hospital  e simplesmente  o médico não  fez nada de exame e disse que era normal devido a gravidez ai tudo bem e as vezes com perda de sangue mais pra eles era normal ai tudo bem quando meu filho nasceu comecei a sentir cansaço  e dores nas pernas e as vezes o sangue continuava a sair  e meu tio descobriu um câncer  no reto com os mesmo sintomas que o meu  mais infelizmente ele faleceu o câncer  tomou conta do corpo  dele todo. E depois minha tia tbm descobriu o câncer  de reto e meu irmão  tbm teve problemas no intestino e minha mãe  no caso deles era polipos .  Aí retornei ao médico e disse a ele que na família tinha caso de câncer   inclusive um tio meu tinha falecido  e ele simplesmente olhou  pra mim e sorriu  me disse  que eu era jovem e não  tinha nem uma possibilidade de estar com câncer isso  não  passava de um calor no intestino ..passaram 4 anos mais era impossível  eles fazer o  exame colonoscopia   era convênio  Ai desistir entreguei nas mãos  de Deus  . Quando foi em 2015 passei  muito mal com grande perda de sangue chegava a escorrer  nas perna e fui internada com urgência e graças  a Deus  fizeram  o exame colonoscopia  e no exame fui diagnosticada com câncer  no reto isso mesmo meu chão  caiu me desculpa mais naquela hora pedi pra Deus  me levar   fiquei internada 10 dias longe do meu filho é desesperada tive alta e graças  a Deus  ele me confortou fiz tratamento químio,  rádio tudo certinho em Dezembro de 2015 dia 8 entrava no centro cirúrgico para retirada do tumor  foram 8 horas la dentro e nesse tempo Deus achou uma forma de me devolver a saúde  a cura a minha vida através  da colostomia  Quando acordei olhei e na minha barriga estava a bolsa e os médico   disse q o tumor  estava grande  e não  tinha mais o que fazer a não  ser a colostomia definitiva confesso a vcs não  foi fácil  a recuperação  sofri demais no começo   perguntava pra Deus  o pq isso comigo achava que eu era a pessoa que mais sofria no mundo  até que um dia ele me enviou a casa de uma colega que também estava com câncer  e quando cheguei la meus olho se encheram  de lágrimas  ela estava em uma cama toda suja um cheiro forte gatos em cima dela a filha dela xingando ela e estava com sondas com 3 bolsas  na barriga dela super magra foi um cena horrível  aquilo acabou comigo perdi tanto perdão  a Deus por reclamar tanto sendo que existia sim pessoas piores que eu . E no dia seguinte essa colega  faleceu 😕 e hoje agradeço  a Deus  por tudo reclamo até pelas dores que sinto hoje  minha história  servira de exemplo que podemos sim glorifica o nome dele nos dias difícil  pq não  a oração  sem resposta a colostomia foi um presente enviado pelo meu senhor hoje sou muito feliz .. Uma maneira diferente de viver colostomia é  minha vida.  Desde  já agradeço a atenção  de todos e se algum dia ouvir dos médico  que irá usar uma colostomia  agradeça  somente a Deus. ..😙😙 enquanto aos médico  foi falha deles sim mais saibam que nossa história  JÁ é  escrita  no livro da vida. Não reclame  por nada vc tem saúde  vc anda vc enxerga vc come  não  perca seu tempo com brigas a vida é linda e bela para perdemos tempo com coisas que não  vale a pena. Seja feliz e primeiramente  agradeça  a ele.  Que toda honra e Glória seja dada ao nome de Jesus. . 

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

DEUS SALVOU MINHA VIDA ATRAVÉS DA COLOSTOMIA

Olá..me  chamo Adriana, sou de Petrópolis.. descobri o câncer de reto em 2009, quando tinha 35 anos e meu filho tinha 5 anos..na época o médico daqui de Petrópolis me tratou de hemorróidas, chegando inclusive a me operar..e quando eu dizia q não conseguia evacuar e que saia sangue ele dizia q era normal e que precisava dilatar me intestino e fazia isso "a força" no consultório e eu tinha q morder um pano p aguentar..mas as dores só pioravam e eu não conseguia ir ao banheiro sem laxante constantemente...foi aí que uma amiga me encontrou na rua e me vendo muito pálida..me indicou uma médica no Centro do Rio de Janeiro.. esperei mais uns três meses pela consulta..o câncer foi diagnosticado no consultório mesmo..o tumor era enorme e tomava mais de 60% da passagem no intestino..parti para um tratamento pesado de quimioterapia e depois radioterapia por quase 6 meses para diminuir o tumor e possibilitar a cirurgia q durou 9 horas.. fizeram uma ileostomia temporária .. porém o médico "esqueceu" de fazer o toque e meu intestino estenosou (aderiu) ..então três meses após a primeira cirurgia,
tive q fazer outra para cortar mais um pedacinho e tentar descolar.. porém..as fístulas entre a parede vaginal e p anus dificultavam ainda mais a reversão.. fiz terapia  hiperbárica e várias sessões de
dilatação mas a reversão não deu certo..as fezes vazavam p vagina e eu vomitava tudo e usei fraldas por um ano quando então já estava com 23 quilos a menos..optei por
retornar a colostomia q uso até hoje ( tive durante esse tempo um prolapso que jogava p fora quase 15 cm de intestino..mas operei ).. hoje vivo bem ..faço de tudo e é claro que sonho com a reversão que os médicos chamam de milagre no meu caso.. porém milagres são normais p mim..
ADRIANA GHEREN _ 43 ANOS _PETROPOLIS/ RJ

QUEM ME VIU E QUEM ME VÊ...

Oi pessoal,eu sou a Maria José(ZEZÉ) tenho 56 anos sou viúva,mãe de duas filhas,agora só tenho uma,perdi uma pra leucemia.tenho dois netos,sou cabeleireira à 36 anos,moro Rio Verde interior de Goias,colostomizada à 1 ano e4 meses,começado minha história,deste os meus 7 anos de idade,eu tinha muita cólicas e mt diarréia,só procurei um médico aos 40 anos,fui diagnosticada de Td,menos o que eu tinha mesmo,dos tdo tipo de exames e nd. Final de 2014 Outubro,as cólicas aumentaram de não parar em Pe,não quis ir no medico fiquei uma semana sentindo mtas dores,cheguei a queimar a barriga de tanto colocar bolsas quentes,ate quentinha filha me levou a força no pronto socorro,la fizeram um exame de sangue,e deu uma infecção altíssima,,me passaram pra tomar um antibiótico injetável por 14 dias e depois era pra refazer o exame,a.assim foi durante o antibiótico,eu tive uma hérnia de disco,tive que Fã ser sessões de quiropraxia,acabando os antibióticos,fui procurar um gastro,que qd olhou os exames de sangue,pediu uma tomografia do abdômen,isto foi de manha,a tarde, o medico ligou na minha casa e pediu pra eu ir me internar,quase Itapetininga filha que me da forças nesta horas,fui diagnosticada,com diverticulite aguda crônica,e com infeção generalizada,agora que foi pior Internei,me tiraram toda comida sono soro e no antibiótico,isto foi 20 dias,emagreci 11 kilos,todo mundo que ia me visita,sai dizendo que eu não ia sair desta,mas deus não desistiu de mim,esta romaria durou 5 meses,conseguiram acabar com a infeção,e meu medico me disse que não ia precisar de operar não,fiquei MT feliz, me mandou pra uma nutricionista,porque eu estava MT debilitada,e ganhei alta,uma semana que estava em casa meu intestino furou pra dentro do útero,ai foi o fim,entrei em desespero,se.não fosse minha filha,não sei o que seria de mim,fiquei defecando pela vagina,liguei pro médico,eles sou eu ir inter na imediatamente,fizeram todos os exames ginecológicos possíveis,e não achava o furo,meu medico então me disse -vos te abrir te abrir,e posso achar um câncer,eu não vai achar nada em nome de Jesusarcar a cirurgia pra o dia 9 de abril de 2015,chegando no centro cirúrgico estava pé fico assistente que é um padre,ao anestesista e protestante,duas enfermeiras eram acebleianas,e uma enfermeira chefe adventista e o cirurgião Dr Vicente guerra,então os anjos de Deus estavam todos em volta de mim,foram 10 horas de cirurgia,qd acordei esta vá com uma bolsa pregada na minha barriga, tinhao me tirar o um metro de intestino,o útero o ovario,só me disser que era provisória,fiquei uns 15 dias internada depois da cirurgia,voltava toda semana pra o retorno,e meu médico enfiava o dedo na policromia,quase dava na cara dele,outra coisa o estoma não tava subindo,só afundando,teve que costurar duas vezes,e não tag adiantando,n dos retornos ele me disse,semana que vem vou te internar pra refazer a policromia,queria morrer,gente eu orei dia e noite,quando cheguei no retiro a colostomia tinha subido,oh Glória,dai pra frente foi só alegria com 3 meses já estava trabalhando,só não pego peso,foi então que decidi não fazer a reversão,solicito feliz pela segunda chave de vida que deus.me deu,amém,eu e a minha bolsinha Unidas para sempre.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

NÃO CONSEGUI NÃO CHORAR...AMIGA SOU TUA FÃ

Oi Gente, meu nome é Alessandra Andréia Ribeiro, tenho 42 anos, sou de Belo Horizonte ,Minas Gerais.
Vou tentar resumi minha história.
Em 2013 comecei um tratamento de estômago, até então saia sangue nas fezes. O médico pediu vários exames.
Primeiro imaginou uma cirrose, e eu não bebia, depois hepatite C... Mas ela já sabia o que era, pq pediu uma colonoscopia. Fiz no inicio de outubro e mesmo anestesiada escutei o médico comentar que era um tumor. Na hora perguntei se era maligno ou benigno, pediu para ficar calma que ia ficar tudo bem. 
Passei 30 dias com aquilo na cabeça escondendo de todos. No dia 06/11/2013 fui ao médica sozinha. Na hora que entrei perguntei se era maligno? A médica assustou e perguntou quem estava comigo. Estava sozinha,não gostava de acompanhante. Ela só me olhou e respondeu... Sinto muito é maligno. Na hora meu chão se abriu, pedi a médica para ficar sozinha. Chorei muito, pensei na minha vida, na minha família e principalmente minha mãe.
Sai de lá com vários outro pedido de exames e encaminhamento para oncologista.
Na rua liguei para minha irmã Adriana e informei que estava com câncer e pedi para avisa a família. Eu só queria ir para empresa trabalhar e tentar esquecer. Chorei demais com meus amigos de trabalho. Tive e tenho muito apoio de todos dos mais simples até ao chefe.
Cheguei em casa estava todos irmãos cada um com a cara pior que a outra, recebi muito abraços . Mas o melhor foi da minha mãe. Minha tia e madrinha ficou sabendo e na mesma hora foi aonde eu trabalhava me dar apoio.
Essa doença abalou a família toda, sempre perdemos familiares com essa doença. Eu acostumava de chamar de CACÁ, e também na empresa de Telemarketing que ainda trabalho e gosto muito mas estou afastada, desde 03/01/2014.
Comecei a quimioterapia e radioterapia no mesmo dia 06/01/2014 foi 28 radioterapia e 2 sessão de 5 quimioterapia. Perdi 50% do cabelo, mas isso não foi pior na minha vida, e sim as amizades que eu pensava que era amizades, me viraram as costas. Mas foi Deus que me livrou de pessoas assim.
Passei muito mal com todo tratamento, muitos enjoos, diarreias e vômitos.
Chegou o dia da cirurgia no Hospital da Baléia, 15/05/2015 as 13:30 hs, entrei confiante que ia me livra do CACÁ mas com medo demais ao mesmo tempo. 
Os médicos já tinham avisando minha família que eu não ia mas viver e não queria viver. Mas minha mãe e minha família busca-pé não desistiram um só dia de mim lá dentro.  Família busca-pé RS era assim que os médicos falavam pq não saiam um só dia da porta do hospital. E o meu Anjo Dr,Samuel passava informação toda hora para eles. Foi e é amigos em todas horas.
Acordei 30/05/2014 as 03:00 hs de um coma com um anjo segurando minha mão ( Um médico que foi e é meu anjo até hoje e um amigo que sempre está me procurando)
Sofri dentro do CTI tive pneumonia, trombose e iscaria lombar, que ainda estou cuidando para ser operada ainda esse ano. Se Deus quiser!
4 dias acordada no CTI pedi o chefe dos médicos para me dar alta e ir para enfermaria. No CTI eu falo que cheguei na porta do inferno ou estive lá dentro mesmo. As enfermarias me tratava muito mal, só me dava banho as 21:30 hs e sempre gelado. No primeiro dia acordada eu puxei o turbo de oxigênio pq iam fazer uma traqueotomia no pescoço, ai o médico viu que as enfermeiras não estavam limpando o turbo. Colocaram-me só no oxigênio mesmo. Em todos tratamento o CTI foi pior, até aposta teve.Quem pegasse minha aveia para colocar o soro.(Apostaram uma coca cola e sanduiche) Isso foi um médico plantonista e um enfermeiro.Cortaram um pedaço debaixo do queixo e pegaram uma aveia nele,foi um sofrimento, chorei demais ,na noite interior eu gritava de dor na perna direita, ai veio um médico ver o que estava acontecendo, falei da minha perna. Ele levantou o lençol e viu que a minha meia cirúrgica estava ferindo minha perna que tinha uma trombose. Esse médico sim ficou nervoso com a equipe e brigou. Me ajudou demais e ainda uma enfermeira que de coração não desejo mal algum... Teve a coragem de falar que era charme meu querendo atenção.
As pessoas não pensam no dia de amanhã!!
Fui para enfermaria, não andava fiquei 14 dias lá. Mas era melhor do que CTI. Tinha acompanhante 24 hs .
Voltei para casa, estava cheio de cartazes do meus sobrinhos me dano boas vindas. Muito carinho e mimos de todos. 
Mas sofri com a iscaria lombar, até que a bolsa de colostomia nunca me incomodou nem para dormir.De pouco a pouco voltei andar. Não aceitei cadeira de roda, mas fiquei no andador para firma o corpo, depois bengala. Minha irmã Adriana era minha enfermeira e babá.Com tempo começou  minha mãe fazer os curativos ela morria de medo de me machucar . Até meu irmão Luiz me ajudou no banho e nos curativos. 
Até então para mim a bolsa era temporária , no dia que voltei no proctologista e me informou que aconteceu algumas mudança no meu caso , que eu ia ser colostomizada definitivamente. Foi pior que saber que estava com câncer. Na cirurgia amputaram meu ânus, fizeram 3 cirurgia em 5 dias . Precisei de tomar 45 bolsa de sangue, o sangue não parava no meu corpo. Estou viva pq Deus quis e muitas orações e Fé ate de pessoas que não conhecia. 
Com quase 2 anos apareceu 3 hérnias, foram retirada agora dia 04/08/2016  estou sofrendo com dores, os pontos rejeitou e abriram. Estou pedindo há Deus para que meu organismo não rejeite a tela que os médicos colocaram para não dar, mas hérnias. Tenho diabetes que não ajuda em nada nas feridas e cirurgias!!
Estou a cada dia aprendendo acostuma com essa ostomia, não está sendo fácil. Aceitar eu não aceito e nunca vou. Mas preciso acostuma pq foi a 2° maneira que Deus me deu para continua viva!! 
Estou fazendo tratamento com psicólogo e psiquiatra. Tomo remédio para nervo, pq sou nervosa pos acho que minha cirurgia aconteceu erro, tomo remédio para dormi pelo menos 4ou 5 horas por noite. Remédio de diabetes e 3 vezes aplico insulina. Antes de ópera não tinha nada disso.
Sinto-me muito sozinha e choro muito a noite para ninguém ver. Dou uma de forte por minha mãe, que fica preocupada e não dormi. Tem pessoas que pensam que isso não é nada, mas só quem está sentindo na pele que sabe. 
Odeio olhares das pessoas de rejeição ou piedade. Isso incomoda muito, mas! 
Esse ano conheci pessoas maravilhosas, fui procura ajuda numa associação e acabei me tronando voluntaria( ASSOCIAÇÃO MINEIRA DE OSTOMIZADOS) e também o grupo do OSTOMIZADOS DO BRASIL !
Bom vou para por aqui, falei que ia resumir minha historia estou quase escrevendo um livro rsrsrs



MINHA HISTÓRIA DE VIDA, MINHA SUPERAÇÃO

Eu sou o FLAVIO ESCAJOIRA, nasci numa cidadezinha chamada CRAVINHOS aqui no interior de SP 
Nasci em 1970 ,com o anus imperfurado.
No meu segundo dia de vida fizeram a colostomia,onde permaneci colostomizado por 9 meses 
Foram mais de 10 cirurgias tentando corrigir uma incontinência,que adquiri devido essa mal formação do intestino.
Minha vida foi muito difícil, sempre com fraldas, ia para escola tinha que voltar porque eu me sujava todo, ia passar, brincar com meus amiguinhos a mesma coisa, minha incontinência era total ,trocava fraldas duas três ,quatro vezes por dia, e na época eram fraldas de pano rsrsrs.
Quando eu estava já com quatorze anos , fomos para São Paulo SP, realizar uma última tentativa com a conceituada Dr Angelita Gama, fiquei muito animado achando que desta vez realizaria o meu sonho de parar de usar fraldas.
Sonho não realizado , a cirurgia não deu certo 
Em 1985 os médicos do HOSPITAL DAS CLÍNICAS DE SP, me disseram FLAVIO agora infelizmente não tem mais jeito, ou vc faz uma colostomia definitiva, ou volta para sua cidade de CRAVINHOS, utilizando os métodos de lavagens e o uso de fraldas pelo resto de sua vida 
Eu já adolescente tomei a decisão do uso das lavagens e das fraldas.
Hoje tenho 46 anos , ainda utilizo deste método , lavagens e fraldas.
Até hoje às vezes ainda passo por momentos de constrangimentos, sujando roupa.
Isso não me impediu de trabalhar por 28 anos, me aposentei por invalidez faz dois anos, porque aos 42 anos também tive um câncer de próstata, aí adquiri uma incontinência urinária parcial, tenho hipertensão arterial, glaucoma, tive defeito de Jup no rim direito, devido as cirurgias do intestino, minha bexiga hoje é hiperativa, se bebo muito líquido, vou ao banheiro urinar a cada meia hora, RSRSRS principalmente a noite, 
Está é a minha história de vida ..
Um dos meus prazeres e contar está história, para testemunhar de que Deus é maravilhoso, casei tenho uma linda filha de 18 anos.
Tenho uma vida quase que normal.
Se precisarem falar comigo, alguma informação meu e-mail é skajoiraflavio2016@gmail

FACEBOOK: FLÁVIO ESCAJOIRA
UM BEIJO NO SEU CORAÇÃO